A verdade é que não existe segurança

O ser humano está continuamente buscando a segurança. Quer consegui-la no trabalho, no relacionamento, com a família, com o dinheiro… e isso é lógico, já que a nossa finalidade é sobreviver.

Quando nos preocupamos com as coisas, acreditamos que assim prevenimos certas circunstâncias desagradáveis que possam ocorrer em nossas vidas, e o problema disso é que chegamos a ficar obcecados com a segurança, o que repercute muito negativamente em nossa saúde emocional.

O transtorno de ansiedade generalizada pode comprovar isso muito claramente. Estas pessoas se preocupam em excesso por qualquer circunstância vital, pois acreditam que o que irá ocorrer no futuro será negativo, e eles acreditam nisso 100%. Além de se preocupar com os acontecimentos da vida, se preocupam pelo fato de estarem preocupados, o que cria um círculo vicioso do qual é difícil escapar.

Ocupar-se sim, preocupar-se não

Evidentemente existe a responsabilidade em nossas vidas e é necessário cuidarmos dos nossos assuntos da melhor forma possível. Porém, é preciso ter em mente a diferença entre ocupação e preocupação.

Ocupar-se é ter uma atividade ativa e de busca de soluções, mas sempre sabendo que existem certas coisas que escapam de nosso controle, e isso será assim sempre, por mais que nos preocupemos e fiquemos ansiosos.

Por outro lado, preocupar-se é se ocupar de antemão, é viajar com a mente para o futuro  que ainda não existe – e se colocar no pior cenário possível, o que gera uma ansiedade exagerada que nos bloqueia.

Preocupar-se não tem utilidade alguma, é na verdade bem o contrário. No entanto, ocupar-se da parte que temos controle, aceitando a incerteza das coisas, é um sinal de maturidade psicológica e gera sossego.

“Nunca sabemos o que irá acontecer. E é bonito nunca saber. Se fosse previsível, não valeria a pena viver a vida. Se tudo fosse como gostaríamos que fosse e se tudo fosse uma certeza, não seríamos humanos, seríamos uma máquina. Somente existem certezas e seguranças para as máquinas.”
-Osho-

A segurança não existe

O mundo é inseguro por natureza, é uma de suas características. Isto não quer dizer que sempre estaremos expostos a perigos, e como dissemos antes, de nada serve pensar no pior.

Saiba que o objetivo é saber que um dia você tem algo e que amanhã você pode perdê-lo, e o contrário também. Hoje não temos nada e amanhã a sorte nos sorri e aparece aquilo que pensávamos que nunca ia aparecer.

Temos que aceitar de verdade esta insegurança, já que a aceitação nos deixará fluir pelo mundo, viver leve e sem limites, mas com responsabilidade. Ter clara a ideia de que as certezas não são reais nos ajuda a ter uma nova perspectiva sobre os problemas, e serve para enfrentarmos melhor as situações e vivermos tranquilos.

Saber que a única coisa segura é que nos encontramos em uma absoluta insegurança flexibiliza nossa mente e, consequentemente, nos torna pessoas mais fortes a nível emocional, mais racionais. 

Deixe de lado os apegos, pois você sabe que nada nos pertence, nada é totalmente nosso, nem um parceiro, nem um trabalho, nem a nossa própria saúde e nem sequer nossos filhos.

 Caso tenhamos estas coisas, desfrutaremos delas o máximo possível, mas seremos conscientes de que no dia de amanhã isso pode não existir mais em nossas vidas, e não restará outra alternativa do que aceitar da forma mais alegre possível. A emoção exagerada não irá nos ajudar a recuperar as coisas perdidas.

É por isso que se preocupar não ajuda em nada, pois o que tiver que acontecer irá acontecer, a preocupação não mudará nada. Nem o mundo, nem a vida nos perguntarão quais planos temos para o fim de semana. A vida funciona assim e esta é a única realidade.

“Se seu problema tem solução, por que você se preocupa? E se não tem, por que se preocupa?

mulher buscando segurança

Como podemos tolerar a insegurança?

A insegurança, quando nos acompanha, nos deixa um sabor amargo e de descontrole que é difícil suportar. A seguir, oferecemos algumas estratégias para que você comece a tolerá-la.

  • Aprenda a controlar seu diálogo interno: O que você está dizendo a si mesmo quando está preocupado com algo? O mais provável é que seu autodiálogo tenda ao catastrofismo e à negatividade com pensamentos do tipo “preciso que o mundo seja seguro e sob controle ou não poderei suportar”. Você deve substituir estas frases interiores por outras mais realistas: “Não preciso ter toda a segurança nem controlar o mundo, porque não irá ser assim”
  • Busque riscos e complete-os: Com riscos nos referimos as coisas que você gostaria de fazer e não termina por medo de que algo não saia bem. Lembre-se de que não há nada seguro e se você nunca tentar, nunca saberá o que poderia ter sido. Desprenda-se destes medos limitantes e deixe que aconteça o que acontecer, para o bem ou para o mal.
  • Mantenha uma atitude de enfrentamento: existem coisas que podemos controlar e coisas que não. Foque nas soluções do problema e tente resolvê-lo da melhor forma possível, mas se esqueça daquilo que não pode controlar. Por isso, abandone a preocupação e não acredite que ela magicamente irá ajudar a prevenir o problema, porque isso não é real.

 

 

 

Autora: Alice Amar

Fonte: http://amenteemaravilhosa.com.br/verdade-nao-existe-seguranca/

Anúncios