Ciúme

Aprisionar ou estar aprisionado?

“Os ciumentos sempre olham para tudo com óculos de aumento, os quais engrandecem as coisas pequenas, agigantam os anões e fazem com que as suspeitas pareçam verdades.”
– Miguel de Cervantes

Diversos casos que atendo no consultório possuem como queixa principal as crises de ciúme. Amenas ou intensas, o paciente apenas pensa no quanto isso pode influenciar negativamente em sua relação.

Sentir ciúme é acreditar que está sendo ameaçado por todos a sua volta, qualquer pessoa pode ser uma ameaça, ou seja, qualquer pessoa pode parecer “melhor” do que eu. Ou aquele rapaz pode “se aproximar de forma intencional da minha mulher, portanto devo me proteger dessa possível ameaça”.

Com o tempo o ciúme tende a desgastar e fazer com que o casal se distancie, porém provavelmente o comportamento dessa pessoa se repetirá, pois o ciúme pode ter causas que estão sendo carregadas com o indivíduo ao longo da vida.

uol_ciumes615x300

Ilustração: Lumi Mae

Entenda o ciúme:

O ciúme é uma emoção desencadeada por uma ameaça “real ou imaginária”. Estes dois tipos podem fazer com que o sujeito sofra muito com seus pensamentos e ilusões.

Há também um tipo de ciúme chamado ciúme patológico definido por um sofrimento exacerbado, acompanhado com comportamento de perseguição e inquietude frequente. Esses são os tipos de ciúmes que mais incomodam os parceiros, pois está mais em evidência nos comportamentos do ciumento.

Há anos atrás, quando o mais importante era se defender das ameaças do mundo, o parceiro ciumento era aquele que trazia mais segurança para a mulher. Pesquisas comprovam que as características de um ciumento podem ter se fortalecido ao longo do tempo por meios de sobrevivência e segurança. Para os homens aumentaria a espécie, pois eles cuidariam das mulheres de forma que elas não encontrassem novos parceiros, ou o ciúme apareceria como forma de defender a própria espécie.

Só podemos dizer que uma pessoa sentiu ciúme de seu parceiro porque as coisas que acontecem nessa relação irão controlar essas emoções, junto dessa emoção as sensações físicas do ciumento são: nó na garganta, sensação de perda de controle.

Os sentimentos do ciumento são: raiva, tristeza, sentimento de rejeição, mágoa, ansiedade, angústia entre outros sentimentos.

A pergunta é: por que uma pessoa pode ser ciumenta?

A análise do comportamento explica que os comportamentos de uma pessoa ciumenta podem ocorrer por alguns motivos, como a história de vida, ou seja, o indivíduo vivenciou situações em que a “mãe traía o pai”. Dessa forma, este indivíduo pode acreditar que todas as mulheres podem trair um homem.

O segundo ponto é que o indivíduo pode seguir o modelo de alguém ciumento, como familiares, irmãos, ou até mesmo da própria parceira, além da história de vida que poderá favorecer o comportamento do indivíduo ciumento às situações em que o sujeito está se expondo.

Além disso, o ciúme pode ocorrer por diversos motivos, mas devemos ficar atentos, pois o indivíduo pode generalizar esta emoção, ou seja, ele terá algumas experiências em que ele sentirá ciúme, porém apenas uma situação com uma pessoa teria sido traumatizante, após vivenciar esta situação tão conflitante a pessoa passou a sentir ciúme de tudo e de todos.

Reflita: Como você está se comportando nesta relação?

Um ponto importante é pensar se você está sendo reforçador para o seu parceiro. Você está sendo bom e companheiro? Estes são itens importantes para a relação assim como outros pontos que foram falados no texto “relacionamento conjugal”, onde é necessário analisarmos quais os pontos que precisam ser melhorados da relação.

Mais um ponto importante a analisar é: o que o meu parceiro está fazendo para que eu me sinta inseguro a ponto de ter ciúme?

Muitos comportamentos que aparecem na relação, como falta de comunicação e os valores que cada pessoa tem, devem ser analisados, pois estes comportamentos ou a falta deles podem gerar ciúme.

Devemos levar em consideração que cada pessoa tem sua história e suas limitações. Portanto, é muito importante analisarmos os casos individualmente e entendermos quais as funções de cada sentimento e situação para cada pessoa. Afinal, muitas vezes, o que pode ser um problema para você pode não ser visto como um problema para seu parceiro.

Continuar uma relação com ciúme pode ser muito ruim, pois caso haja uma crise de ciúme e este comportamento for aceito pelo parceiro sem muita resistência, provavelmente o ciumento aprenderá que ao falar sobre o ciúme, além dele se aliviar, irá incessantemente tentar resolver essa questão através de conversas agressivas ou não assertivas. E esse nem sempre é o melhor caminho, uma vez que poderá gerar mais discussão ou apenas manterá os comportamentos do ciumento.

A análise do comportamento/terapia poderá orientar e analisar com o paciente que se sente ameaçado por situações ou pessoas. Dessa forma o terapeuta irá buscar com o paciente novos caminhos para que ele se sinta melhor e mais seguro nesta relação, tornando-a satisfatória e extremamente positiva para o casal.

 

Fonte: http://www.psicologosberrini.com.br/terapia-de-casal/ciume/

Anúncios