Ponto Fraco

Sem gente ao meu redor

Sem lente para minha dor

Sossego que nunca quis carregar nos braços

Silêncio que pousa espancando meus ouvidos….

Cheiros inexatos de calor, suor, pavor

Esperando essa música negra entrar no meu corpo

Balançar minha vida com histórias de sucesso

Dos fracos

Ainda era noite quando esperei que as coisas melhorassem

Que vida saudável aparecesse desse álcool engarrafado

Desses dias bolhas soltas pelo ar sufocassem meu passado

Minha saudade, meus resquícios de vida inteira, vida solteira

Nem veio pela janela, aquela, passagem para meu amor

Veio uma passagem para a velhice, aquela preguiça de deitar na cama

Aqueles olhos tristonhos, aquele sofrimento sem fim.

Cristian Stassun 2009