Reciprocidade

Quando podemos saber se um relacionamento está indo para um bom ou mau caminho? Se está fadada ao sucesso ou ao fracasso? Essas perguntas sempre vem em mente nos casais. Seja sobre a incerteza do amanhã ao medo de se entregar completamente à mulher que está se relacionando. Não somos de ferro, por mais que pensemos de forma calculista no começo, uma hora vemos a necessidade de expor sentimentos. Mas qual seria a hora certa? E em qual medida expor? São mais e mais perguntas criadas cada vez em que pensamos e refletimos sobre isso. A tendência de um casal é simples. No começo chega a ser um clichê, tudo é perfeito e sublime, sem confusões, sem brigas, sem desafetos, sem nada de ruim, muito pelo o contrário. É uma onda de meses de pura reciprocidade e amor correspondido. Mas um relacionamento não é tão simples. Não é fácil. Um relacionamento sério é trabalhoso e complexo, exige tempo, cabeça aberta, atenção e dedicação.

Um relacionamento não é apenas um sexo garantido por tempo indeterminado. Não entre num relacionamento esperando isso. Não iluda a sua parceira com promessas ditas de boca para fora para conseguir um sexo fácil. Se você quer uma parceira apenas com esse intuito, pode fazer, porém, deixe bem claro desde o começo as suas intenções e espera que ela corresponda na medida certa. Não seja um filha da puta, seja um homem. A reciprocidade entra em ação nesse exato momento. Toda a base de um relacionamento é a reciprocidade. Quando ela não está em equilíbrio perfeito, as chances das coisas darem erradas são altas. Seja por falta da sua parte ou a dela, o desequilíbrio é o mesmo. As chances de alguém sair magoado é a mesma, por isso, tome cuidado.

A sensação de não ser correspondido da forma que queria, ou da mesma forma que você corresponde a sua parceira é horrível e agoniante. E se você está se vendo nessa situação, não se desespere. Por mais que o caminho que esteja passando agora seja difícil, o que separa você da sua vitória é a sua moral, sua dedicação e sua honra como homem. Se prenda em você mesmo e no seu valor próprio. Tenha muita certeza antes de expor seus sentimentos, de querer se entregar para alguém. Sabemos que é bom quando é correspondido, quando a recíproca é verdadeira, mas o valor de um relacionamento não é sobre o quão boa esteja sendo seu relacionamento no momento, mas sim, quando a vida joga problemas na sua relação. É na superação de barreiras e dificuldades que vemos o valor de um relacionamento. É no trabalho em equipe, na dedicação mútua para superar os problemas, onde por mais que esteja em um buraco sem fim, o equilíbrio da reciprocidade não muda. Continua imóvel, sublime e perfeito.

Se você está num relacionamento e não sente a certeza de que consegue superar problemas em conjunto, pense friamente e volte a ser analítico. Pergunte para si mesmo:

Por que não tenho essa certeza?

É uma pergunta chave, analise todos os problemas da sua relação, e com certeza encontrará falta da reciprocidade, seja por ter feito algo antes por ela e quando aconteceu com você, não recebeu a devida ajuda que esperava. Você precisa tomar cuidado nessas horas. Primeiramente, não pense que o relacionamento é um sistema de trocas, aonde se você faz algo, ela deve fazer também ou que vai apenas fazer para agrada-la para tentar ganhar algo em troca. Jamais faça isso. Se quer agradar sua parceira, faça porque você quer apenas realmente agrada-la, faça porque você gosta dela. Mas existe uma tênue entra a questão do bom senso e a troca de favores. Se sua parceira está passando por problemas, ajude-a, esteja presente, faça seu papel como namorado. Ela não está com você apenas por causa do sexo, ou por conta do prazer de estar perto. Ela está com você porque ela confia em você o bastante para te-lo como namorado. Então protege-a e esteja do lado dela.

Caso você venha a ter problemas na vida, coisa que é inevitável, que caia em alguma parte da sua vida, é completamente normal você procurar refúgio nas pessoas que você ama. Seja se agarrar à família ou a sua parceira, você está em uma situação vulnerável, e isso não é vergonha para ninguém. Ninguém é forte o suficiente para sempre se manter em pé, mas precisa ser forte o suficiente para sempre levantar depois de uma queda. Ai que a questão do bom senso entra. A sua namorada também tem que fazer seu papel, o relacionamento não é apenas seu. É de vocês dois. Veja a reação dela, é nessas horas que vemos os valores em alguém. É nos momentos de sofrimento, tristeza e medo que vemos a verdadeira personalidade de alguém. Se ela permanecer do seu lado enquanto você estiver no fundo do poço, amigo, casa-se com ela.

“Vadias vem e vão, mulheres não.

 

 

Autor: Geon Tavares

Fonte: http://www.clubedoshomens.blog.br/reciprocidade/

Anúncios