Nova Tradução de Sigmund Freud

Por Mente e Cérebro | Em Sábado, 17 Novembro 2012 22:36

Este ano, parte da obra do criador da psicanálise Sigmund Freud entrou em domínio público, o que permitiu que novas traduções fossem feitas diretamente do alemão, idioma em que ele escreveu. A editora Companhia das Letras está lançando, em 20 volumes, as Obras Completas do autor.

Em setembro, chegou às livrarias o volume 11, Totem e tabu, contribuição à história do movimento psicanalítico e outros textos (1912- 1914). Traduzida pelo historiador Paulo César de Souza e organizada na sequência cronológica em que os ensaios foram originalmente publicados, a coleção, ricamente ilustrada com imagens das estatuetas que pertenciam à coleção pessoal do médico vienense busca ser o mais fiel possível ao autor, sem interpretações ou comentários teóricos. Souza rejeita, por exemplo, alguns termos popularizados, como “ego”, que volta a ser “eu”, como no alemão.

O destaque do livro é o artigo “Totem e tabu”, um dos mais ousados trabalhos de Freud, considerado pelo próprio autor seu texto mais bem escrito e inovador – ele constrói uma reflexão sobre a origem da civilização e traça um paralelo entre o mito da horda primeval e o da morte do pai totêmico (basicamente, sobre a ambivalência de sentimentos em relação à figura paterna, que é ao mesmo tempo aquela que reprime e que protege) e as origens das instituições sociais e culturais, além da religião e da moralidade. Após ser publicado, o livro permaneceu como um de seus favoritos durante toda a vida, sendo mencionado com frequência em seus estudos posteriores.

Obras completas, volume 11: Totem e tabu, contribuição à história do movimento psicanalítico e outros textos (1912-1914). Sigmund Freud. Paulo César de Souza (tradutor). Companhia das Letras, 2012. 448 págs., R$ 54,50.

Fonte: Mente e Cérebro