Melhores frases de Victor Hugo

Origem: Wikiquote, a coletânea de citações livre.

Victor Hugo
Victor Hugo
Veja também…
Biografia na Wikipédia
Multimídia no Wikimedia Commons
Trabalhos no Domínio Público

Victor Hugo (26 de fevereiro de 180222 de maio de 1885), foi um escritor francês, autor de “Les Miserábles” (“Os Miseráveis”).


Tabela de conteúdo

[esconder]

Savoir au juste la quantité d’avenir qu’on peut introduire dans le présent, c’est là tout le secret d’un grand gouvernement.
Victor Hugo; “Tas de Pierres” (1848).
  • “O maior sonho dos heróis é ser grande em todos os lugares e pequeno com o seu pai.”
Le rêve du héros, c’est d’être grand partout et petit chez son père

“La légende des siècles: nouvelle série”, v.2 – Página 105; de Victor Hugo – Publicado por Calmann Lévy, 1877
La mélancolie c’est le bonheur d’être triste

“Les travailleurs de la mer” – Página 236; de Victor Hugo – Publicado por A. Lacroix, Verboeckhoven & ce., 1869 – 275 páginas
  • “A palavra, como se sabe, é um ser vivo.”
Car le mot, qu’on le sache, est un être vivant

“Les contemplations”, volume 1; Por Victor Hugo; Publicado por Hachette et Cie., 1858 página 39
On résiste à l’invasion des armées; on ne résiste pas à l’invasion des idées.

Fonte: “Histoire d’un Crime” (1877)
  • “A verdade é como o Sol. Ela permite-nos ver tudo, mas não deixa que a olhemos.”
La vérité est comme le soleil. Elle fait tout voir et ne se se laisse pas regarder

“Philosophie p. 302 [1865-1866 ?], citado in “OEuvres complètes”, volume 13 – Página 695; de Victor Hugo, Jean Massin – Publicado por le Club français du livre, 1967

Atribuídas

Este artigo ou secção não cita as suas fontes ou referências. Ajude a melhorar este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes.
Celui qui ouvre une porte d’école, ferme une prison.
  • “Passamos metade da vida à espera daqueles que amamos, e outra a deixar os que amamos.” [carece de fontes?]
  • “A suprema felicidade da vida é a convicção de ser amado por aquilo que você é, ou melhor, apesar daquilo que você é.” [carece de fontes?]

Obras

Os Miseráveis

  • “O belo é tão útil quanto o útil. Talvez até mais”.
Le beau est aussi utile que l’utile. – Il ajouta après un silence: Plus peut-être.

Victor Hugo, Les Misérables
  • “A sociedade humana não lhe tinha feito senão mal: nunca lhe encarara senão o rosto carregado a que ela chama justiça, e que mostra àqueles a quem fere.”
Fonte: “Os Miseráveis” – Tomo I, Parte Primeira, Livro Segundo, Cap. VII (O Âmago da Desesperação) sobre Jean Valjean, o condenado das galés.
  • “Depois de ter julgado a sociedade que o fizera desgraçado, julgou a Providência, que fizera a sociedade, e condenou-a também.”
Fonte: “Os Miseráveis” – Tomo I, Parte Primeira, Livro Segundo, Cap. VII (O Âmago da Desesperação) sobre Jean Valjean, o condenado das galés.
Fonte: “Os Miseráveis” – Tomo I, Parte Primeira, Livro Primeiro, Cap. VII (O Âmago da Desesperação)
Fonto “Os Miseráveis” – O interior da Angústia. (uma indagação de Jean Valjean)
Fonte: “Os Miseráveis” – Tomo I, Parte Primeira, Livro Terceiro, Cap. I (O Ano de 1817)
Fonte: “Os Miseráveis” – Tomo I, Parte Primeira, Livro Terceiro, Cap. II (Duplo Quarteto)
  • “Há um modo de fugir que se assemelha a procurar.”
Fonte: “Os Miseráveis” – Tomo I, Parte Primeira, Livro Terceiro, Cap. II (Duplo Quarteto)
  • “As realidades da alma, por não serem visíveis e palpáveis, nem por isso deixam de ser também realidades”
Fonte: “Os Miseráveis” – Uma tempestade sob um crânio
  • “Ó impiedosa marcha das sociedades humanas, em que não se dá atenção aos homens e às almas que se vão perdendo!”
Fonte: “Os Miseráveis” – Ondas e Sombras
  • “O mar é a inexorável escuridão social a que a penalidade arremessa seus condenados. O mar é a imensa miséria!”
Fonte: “Os Miseráveis” – Ondas e Sombras
  • Chega sempre a hora em que não basta apenas protestar: após a filosofia, a acção é indispensável.”
  • “Amar ou ter amado é o bastante. Depois, não exijam mais nada. Além dessa não existe outra pérola escondida entre as dobras escuras da vida. Amar é completar-se”.
Fonte: “Os Miseráveis” – Tomo II.
La pensée est le labeur de l’intelligence, la rêverie en est la volupté.
Les Miserables, Victor Hugo, ed. J. Hetzel et A. Hetzel e A. Quantin, 1882, Parte IV, chap. 1, p. 1, p. 71
Remplacer la pensée par la rêverie, c’est confondre un poison avec une nourriture.
Les Misérables, Victor Hugo, éd. J. Hetzel et A. Quantin, 1882, partie IV, chap. 1, p. 71

Os Trabalhadores do Mar