Eu sonho tanto, tonto, esqueço.

O amor enquanto, tempo, preço.

Não peço

Não perco mais.

Um beijo perto, desço, encanto.

Enquanto estiver solto, mecho e ao certo

Quero te reencontrar, nesses pedaços, laços, pelo ar…

Essa força que meu corpo não possui, mais

Que te possuía inteira, solteira, que se esvai

Nem respiro aos poucos, porque loucos, sufocam, ofegam

Nos seus abraços, perfumes, negros

De uma noite que passou, de uma luz que incendiou seus vestidos

De sua pele primeira, de um sorriso que beira, seus lábios, sábios

E sem voz.

E sem-vergonha….

Ainda sonha, tanto, tonto, mas agora lembro…

Era você. E amei.

Cristian Stassun 16/01/2009