Folhas secas caem num chão de inverno na agitada Londres. São calçadas lavadas pela neve, passos létricos e dias de ventania. Leves e frágeis, as folhas se estilhaçam facilmente se voam para longe de seu braços. A distância que leva a saudade e os desejos, só resistem quando percebemos que somos imortais no que deixamos para as pessoas, num chão fértil que cultivamos para os outros e em novas árvores e vidas que nascem com a nossa presença. Que nasçam flores, amores e estampidos… pois a presença dessa mulher sempre faz acelerar os ventos na Tower Bridge, tocar os sons mais secretos no Royal Albert Hall e faz das palavras companhia dos que amam na London Eye.

Cris. Stassun
Depoimento pra uma amiga no orkut que está há algumas semanas na Europa.